Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mais Atual

Rajoy destitui governo catalão e anuncia eleições para 21 de dezembro

Após o conselho de ministros extraordinário, Mariano Rajoy anuncia as primeiras medidas do artigo 155.º da constituição espanhola. "Destitui Puidgemont e convoquei eleições", acaba de anunciar o primeiro-ministro espanhol.

naom_59f3821275d0a.jpg

 

O chefe do Governo central, Mariano Rajoy, anunciou as primeiras medidas do artigo 155.º da Constituição espanhola, ao final da tarde desta sexta-feira. A primeira delas, declarou numa curta declaração aos jornalistas, é a "destituição do presidente e vice-presidente da Generalitat, Carles Puigdemont e Oriol Junqueras, respetivamente". Esta é a forma de travar "a escalada de desobediência à Constituição espanhola", vincou.

Nas medidas enunciadas, Rajoy apontou também a extinção dos ministérios da Generalitat, e das delegações no exterior, na sequência da declaração de independência unilateral da Catalunha, que classificou como “dolorosa, triste e angustiante”.

Neste sentido, esclareceu, serão os ministérios correspondentes do governo central espanhol a assumir, a partir de agora, "as responsabilidades que estavam sob a alçada dos órgãos administrativos catalães".

Além disso, e por considerar "urgente dar voz a todos os catalães para que possam decidir o seu futuro e, deste modo, que ninguém possa cometer ilegalidades em seu nome", Rajoy declarou: "Convoquei eleições regionais para o dia 21 de dezembro".

O Estado, garantiu, dispõe de meios suficientes para recuperar a normalidade e dissolver "de forma pacífica e moderada" qualquer tipo de ameaça à convivência.

Rajoy disse ter constatado que no parlamento regional catalão impuseram-se "os partidários do 'quanto pior melhor', os que levaram a Catalunha a um beco sem saída" e que liquidaram "um 'catalanismo' integrador que foi motor de progresso em toda a Espanha".

Paralelamente, o executivo em Madrid decidiu apresentar junto do Tribunal Constitucional um requerimento a pedir a nulidade da declaração de independência aprovada pelo Parlamento regional catalão.

O Tribunal Constitucional espanhol já se reuniu hoje à tarde para admitir o recurso que foi apresentado pelo Partido Socialista Catalão contra a realização do plenário do parlamento regional da Catalunha no qual foi hoje votada a independência.

A máxima instância judicial espanhola deu três dias ao procurador e ao Parlamento regional para que deixem sem efeito a votação.

PUB