Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mais Atual

CEO da Altice responde a Costa: PT Portugal fez "tudo o que foi possível"

O presidente executivo (CEO) da Altice, Michel Combes, afirmou hoje que a compra da Media Capital representa "um forte projeto industrial" para o país e rejeitou comentar as declarações do primeiro-ministro.

640_maxnewsfrthree784825.jpg

 

Michel Combes, que falava na conferência de imprensa de anúncio da compra da dona da TVI pela Altice, em Lisboa, disse que o grupo está "entusiasmado" com o negócio.

Questionado sobre se espera oposição política ao negócio, Michel Combes afirmou: "Não estamos aqui a fazer política, este é um forte projeto industrial para o país".

O presidente do grupo que detém a PT Portugal, comprada há dois anos, escusou-se a comentar as declarações que o primeiro-ministro, António Costa, fez sobre a operadora de telecomunicações na passada quarta-feira.

"Não gostaria de comentar as palavras do vosso primeiro-ministro", disse.

Sobre uma das críticas feitas por António Costa sobre o funcionamento das redes de telecomunicações durante o período de combate às chamas no incêndio ocorrido em junho passado em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e que causou 64 mortes, Michel Combes começou por dizer que foi uma "tragédia para o país".

António Costa, que falava na quarta-feira no debate do estado da Nação, no parlamento, disse que esperava que a Autoridade Nacional de Comunicações olhasse "com atenção só o que aconteceu com as diferentes operadoras nestes incêndios de Pedrógão Grande".

"Compreenderá certamente que houve algumas que conseguiram sempre manter as comunicações e houve outra que esteve muito tempo sem conseguir comunicações nenhumas - e isso é muito grave", afirmou o primeiro-ministro.

Michel Combes disse hoje a PT Portugal esteve "extremamente empenhada" e fez "tudo o que foi possível" para que tudo funcionasse, salientando que "nem sempre é fácil" neste tipo circunstâncias, pelo que há algumas situações que têm de ser geridas.

"Estou orgulhoso com o que foi feito pela empresa", afirmou.

Questionado sobre se se sentia bem-vindo ao país, Combes afirmou: "Sim, somos bem-vindos como qualquer investidor".

Michel Combes disse ainda que, com esta operação, a Altice pretende "enriquecer a oferta" da PT Portugal: "Não pretendemos restringir a Media Capital", mas antes "queremos que os canais sejam expostos a um maior número de pessoas possível", declarou.

O gestor considerou também que fazia sentido juntar a 'número um' das telecomunicações ao 'número um' dos media e salientou que a Media Capital tem "sido bem gerida" e que a aposta na empresa passa por investir no digital, desenvolvendo canais em novas plataformas.

"Estamos muito entusiasmados com este novo movimento. É um novo mundo em que estamos a entrar", salientou.

A compra da Media Capital atribuiu à dona da TVI um valor de 440 milhões de euros, o que para Michel Combes "é consistente", salientando que "é um ativo" com "potencial".

Esta aquisição "é uma tendência que existe, mas é a primeira vez que vamos provar que existe", disse, por sua vez, o presidente executivo e do Conselho de Administração da PT Portugal, Paulo Neves.

Já a presidente executiva da Media Capital, Rosa Cullell, afirmou que "os media independentes são fundamentais para qualquer país", salientando que o grupo tem "uma grande equipa".

"As sinergias com a Altice vão ajudar a Media Capital na sua transformação", continuou.

"Espero estar com a Media Capital e com a atual equipa e fazer crescer com o novo projeto", disse.

Rosa Cullell disse que é sua "intenção ficar em Portugal, na Media Capital", com sua equipa, embora isso dependa do acionista, com Michel Combes a manifestar interesse em trabalhar com a gestora.

Sobre as expectativas de como os reguladores vão decidir o negócio, Michel Combes considerou que será um processo sem entraves, "suave".

 "É um projeto industrial", concluiu.
PUB