Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mais Atual

Bebé no hospital depois de quase afogamento na Póvoa de Lanhoso

Uma criança de dois anos foi transportada para o Hospital de São João, no Porto, depois de quase se ter afogado numa piscina, esta terça-feira ao final da manhã

image.aspx.jpg

 

A informação foi confirmada ao JN por fonte dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, corporação que prestou auxílio à criança já no Hospital da Póvoa de Lanhoso, para onde os pais, emigrantes que estão a passar férias na região, transportaram o bebé logo que tudo aconteceu.

"Fomos ao Hospital prestar auxílio até à chegada da VMER de Braga", adiantou a fonte. O alerta para os bombeiros foi dado às 10.09 horas e foi mobilizada uma ambulância.

O bebé foi, depois, transportado pelos bombeiros para o hospital portuense, com acompanhamento da VMER.

"Foi tudo uma questão de segundos. Ele estava a brincar com o irmão, de três anos, junto do pai, que estava a tocar guitarra, e, de repente, uma das minhas filhas pergunta: ‘Onde estão os meninos?’. A minha outra filha foi logo a correr para a piscina, que é o local mais perigoso da casa, e foi ela quem o tirou da água", contou o avô do menino, em lágrimas. A queda à piscina ocorreu pouco depois das 09h00, numa altura em que os pais do bebé, que estão emigrados em França, se preparavam para um passeio, com outros familiares, ao Alto Minho. "Estávamos prestes a sair quando aconteceu isto. A minha filha começou logo a gritar e ainda fizemos as manobras de reanimação. Ele deitava muita água pela boca. Como ele não reagia e enquanto estávamos ao telefone com o INEM, decidimos levá-lo para o hospital", frisou o avô. O bebé deu entrada na unidade da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso pelos braços do pai, que ficou em choque. "Se não déssemos pela falta deles, eles morriam. Eles andam sempre os dois atrás um do outro. Agora só Deus é que sabe", descreveu o avô. De acordo com a família, o estado do bebé é considerado estável. "Já fez exames ao cérebro e não tem lesões. O pulmões é que ficaram mais afetados por causa da água que engoliu", disse uma tia do menino.

 "Foi tudo uma questão de segundos. Ele estava a brincar com o irmão, de três anos, junto do pai, que estava a tocar guitarra, e, de repente, uma das minhas filhas pergunta: ‘Onde estão os meninos?’. A minha outra filha foi logo a correr para a piscina, que é o local mais perigoso da casa, e foi ela quem o tirou da água", contou ao CM o avô do menino, em lágrimas. A queda à piscina ocorreu pouco depois das 09h00, numa altura em que os pais do bebé, que estão emigrados em França, se preparavam para um passeio, com outros familiares, ao Alto Minho. "Estávamos prestes a sair quando aconteceu isto. A minha filha começou logo a gritar e ainda fizemos as manobras de reanimação. Ele deitava muita água pela boca. Como ele não reagia e enquanto estávamos ao telefone com o INEM, decidimos levá-lo para o hospital", frisou o avô. O bebé deu entrada na unidade da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso pelos braços do pai, que ficou em choque. "Se não déssemos pela falta deles, eles morriam. Eles andam sempre os dois atrás um do outro. Agora só Deus é que sabe", descreveu o avô. De acordo com a família, o estado do bebé é considerado estável. "Já fez exames ao cérebro e não tem lesões. O pulmões é que ficaram mais afetados por causa da água que engoliu", disse uma tia do menino.


Ler mais em: http://www.cmjornal.pt//portugal/detalhe/bebe-fica-em-coma-apos-queda-na-piscina?utm_campaign=Newsletter&utm_content=1500266558&utm_medium=email&utm_source=cm_bomdia_ativos_2
"Foi tudo uma questão de segundos. Ele estava a brincar com o irmão, de três anos, junto do pai, que estava a tocar guitarra, e, de repente, uma das minhas filhas pergunta: ‘Onde estão os meninos?’. A minha outra filha foi logo a correr para a piscina, que é o local mais perigoso da casa, e foi ela quem o tirou da água", contou ao CM o avô do menino, em lágrimas. A queda à piscina ocorreu pouco depois das 09h00, numa altura em que os pais do bebé, que estão emigrados em França, se preparavam para um passeio, com outros familiares, ao Alto Minho. "Estávamos prestes a sair quando aconteceu isto. A minha filha começou logo a gritar e ainda fizemos as manobras de reanimação. Ele deitava muita água pela boca. Como ele não reagia e enquanto estávamos ao telefone com o INEM, decidimos levá-lo para o hospital", frisou o avô. O bebé deu entrada na unidade da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso pelos braços do pai, que ficou em choque. "Se não déssemos pela falta deles, eles morriam. Eles andam sempre os dois atrás um do outro. Agora só Deus é que sabe", descreveu o avô. De acordo com a família, o estado do bebé é considerado estável. "Já fez exames ao cérebro e não tem lesões. O pulmões é que ficaram mais afetados por causa da água que engoliu", disse uma tia do menino.

Ler mais em: http://www.cmjornal.pt//portugal/detalhe/bebe-fica-em-coma-apos-queda-na-piscina?utm_campaign=Newsletter&utm_content=1500266558&utm_medium=email&utm_source=cm_bomdia_ativos_2

Contactada pela Lusa, fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) referiu que foi pedido pelo hospital da Póvoa de Lanhoso, distrito de Braga, "apoio diferenciado" para uma criança de dois anos "em paragem cardiorrespiratória por afogamento".

A vítima "foi transportada para o Hospital de S. João pelo INEM em estado grave", acrescentou a mesma fonte.

A GNR da Póvoa de Lanhoso acompanhou a ocorrência.

PUB